A não maternidade

caminhos possíveis para a mulher contemporânea

Autores

  • Alyne Manfron Serpa Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
  • Fernanda Camilo de Oliveira Universidade São Judas Tadeu
  • Danuta Medeiros Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Extrema – MG

DOI:

https://doi.org/10.59483/rfpp.v3n1.71

Palavras-chave:

Feminilidade, Maternidade, Representação social, Psicanálise

Resumo

Introdução: O papel destinado à mulher no passado não é mais compatível com o modo de vida atual e com a função materna, colocada em debate em diversos estudos científicos. Observa-se que para a mulher contemporânea surgem novos caminhos para além da maternidade, antes imposta como destino inevitável e único. Objetivo: O presente trabalho buscou investigar e descrever a representação social de homens e mulheres acerca de mulheres que optaram por não exercer a maternidade, analisando as semelhanças e divergências entre os discursos, e debatendo sobre a construção da representação social da maternidade como um instinto inato a todas as mulheres. Materiais e métodos: O estudo contou com 96 participantes, através de uma amostra autogerada, sendo eles 48 mulheres e 48 homens, com idades acima de 18 anos. A coleta de dados ocorreu através de um formulário virtual, utilizando-se de um Questionário para caracterização da amostra e uma Questão-caso, seguida de duas perguntas abertas relacionadas ao tema. Os dados foram analisados a partir do Discurso do Sujeito Coletivo (DSC) e discutidos à luz da teoria psicanalítica. Resultados e discussão: Os discursos se mostraram semelhantes, entre o grupo de homens e o grupo de mulheres, apontando a maternidade como uma escolha da mulher e o desejo feminino como um guia para a mulher contemporânea, onde o trabalho, vida social, relacionamentos devem ser ponderados, além da vontade de ser mãe. Considerações Finais: Deve-se considerar a possibilidade de outros caminhos em que o desejo feminino possa ser trilhado de forma mais fluída, sem estigmas em relação àquelas que escolhem não optar pela maternidade.

Biografia do Autor

Alyne Manfron Serpa, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Psicóloga, Pós-graduanda em Psicologia Organizacional e Gestão de Pessoas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)

Fernanda Camilo de Oliveira, Universidade São Judas Tadeu

Graduada em Psicologia pela Universidade São Judas Tadeu.

Danuta Medeiros, Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Extrema – MG

Graduada em Psicologia, Doutora e Mestre em Ciências/Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, Especialista em Psicologia Hospitalar e em Psicoterapia Psicanalítica. Professora do curso de Psicologia da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Extrema – MG.

Referências

IBGE. Censo 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/noticias-censo.html?id=1&idnoticia=2125&view=noticia. Acesso em: 24 mar. 2023.

Leal DF da S, Zanello V. “Não Tenho Filhos e Não Quero”: Questões Subjetivas Implicadas na Opção pela Não Maternidade. PSSA [Internet]. 2022; 14(3): 77-92. Disponível em: https://www.pssa.ucdb.br/pssa/article/view/1949 Acesso em: 24 mar. 2023.

Badinter E. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Rio De Janeiro (RJ): Nova Fronteira; 1985.

Vázquez G. Maternidade e Feminismo: notas sobre uma relação plural. Revista Trilhas da História. 2014; 3(6): 167-181. Disponível em: https://trilhasdahistoria.ufms.br/index.php/RevTH/article/view/472#:~:text=Este%20artigo%20tem%20por%20objetivo,variadas%20vertentes%2C%20tratou%20a%20maternidade. Acesso em: 24 mar. 2023.

Kehl MR. Deslocamentos do feminino. Rio de Janeiro (RJ): Imago; 2008.

Laplanche J. Vocabulário da Psicanálise. São Paulo, SP: Martins Fontes; 2016.

Iaconelli V. Mal-estar na maternidade: do infanticídio à função materna. São Paulo. 2013. [Tese de Doutorado, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo].

Mansur LHB. Experiências de mulheres sem filhos: a mulher singular no plural. Psicologia: ciência e profissão. 2003; 23(4), 2-11. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1414-98932003000400002&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 24 mar. 2023.

Braga RC., de Assis Miranda LH., Veríssimo JDPC. Para além da maternidade: as configurações do desejo na mulher contemporânea. Pretextos-Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas. 2018; 3(6), 523-540. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/pretextos/article/view/15994 Acesso em: 24 mar. 2023.

Freud S. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud: Algumas consequências psíquicas da distinção anatômica entre os sexos (1925). Rio de Janeiro, RJ: Imago. 2006.

Freud S. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud: Sexualidade Feminina (1931). Rio de Janeiro, RJ: Imago. 2006.

Cintra EMU, Ribeiro MFR. Por que Klein? São Paulo, SP: Zagodoni. 2018.

Cintra EMU, Figueiredo LC. Melanie Klein. Estilo e pensamento. São Paulo, SP: Escuta. 2010.

Lefevre F, Lefevre AMC. Pesquisa de representação social: um enfoque qualiquantitativo: metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo. Brasília, DF: Líber Livro. 2010.

Lefèvre F, Lefèvre AMC. Discurso do sujeito coletivo: nossos modos de pensar, nosso eu coletivo. São Paulo, SP: Andreoli. 2017.

Medeiros D. Tabagismo e futuros profissionais da saúde: uma análise das representações sociais no Brasil e na Espanha. 2015. [Tese de Doutorado, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo]

Artiga L de MS, Lefèvre F, Medeiros D. Representación social sobre alcohol y tabaco entre universitarios de Enfermería. CES Psico [Internet]. 2023; 16(1): 211-28. Disponível em: https://revistas.ces.edu.co/index.php/psicologia/article/view/6424 Acesso em: 24 mar. 2023.

Patias ND, Buaes CS. Tem que ser uma escolha da mulher!: representações de maternidade em mulheres não-mães por opção. Psicologia & Sociedade [Internet]. 2012; 24(2): 300-306. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=309326586007 Acesso em: 24 mar. 2023.

Freud S. Obras completas, vol. 14: História de uma neurose infantil: ("O homem dos lobos"): além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). São Paulo, SP: Companhia das Letras. 2010.

Ribeiro SM. Ser Eva e dever ser Maria: paradigmas do feminino no Cristianismo. Comunicação apresentada ao IV Congresso Português de Sociologia, Universidade de Coimbra, 17-19 de Abril. 2000.

Beauvoir S. O segundo sexo. Rio de Janeiro, RJ: Nova Fronteira. 2009.

Freud S. Obras completas, vol. 6: Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, análise fragmentária de uma histeria ("O caso Dora") e outros textos (1901-1905). São Paulo, SP: Companhia das Letras. 2016.

Downloads

Publicado

30-03-2023

Como Citar

1.
Serpa AM, Oliveira FC de, Medeiros D. A não maternidade: caminhos possíveis para a mulher contemporânea. RFPP [Internet]. 30º de março de 2023 [citado 28º de maio de 2024];3(1). Disponível em: https://revista.facpp.edu.br/index.php/rfpp/article/view/71

Edição

Seção

Artigos